sexta-feira, junho 08, 2007

Acordo de Sahagún em Maio de 1158

As relações entre Portugal e os reinos de Leão e Castela, vão iniciar um novo ciclo de tensões, que irão ter algumas repercussões.

A morte de Afonso VII aconteceu em Fresneda no dia 21 de Agosto de 1157.

Dois anos antes ele tinha decidido dividir em testamento o seu reino pelos dois filhos, deixando Castela ao mais velho Sancho III e Leão ao mais novo Fernando II, muito embora a descendência destes ainda não estivesse assegurada, pois já com 20 anos mantinha-se solteiro e Sancho um jovem filho, o futuro Afonso VIII, apenas com 2 anos.

Era pois este o quadro sucessório, quando da morte de Afonso VII.

Nos primeiros tempos Sancho III consolida o seu domínio, confirmando os compromissos com os seus vassalos, Sancho VI de Navarra, o emir de Valência e o seu aliado Berenguer IV de Barcelona, garantindo a paz para leste do seu reino.

Fernando II, também rei da Galiza, parte integrante de Leão, já teve que enfrentar algumas revoltas populares em várias cidades.

Sancho III aproveitou-se da situação e invadiu algumas terras do reino de seu irmão, mas o conflito, vira a ser sanado, através de um acordo assinado pelos dois irmãos em Sahagún no dia 23 de Maio de 1158 que consistiu nos seguintes pontos:
  • Manutenção do traçado fronteiriço estabelecido por Afonso VII
  • Os reinos seriam transmitidos aos herdeiros do rei seu irmão, caso algum deles morresse sem descendência
  • Ajuda mutua militar se algum dos reinos fosse atacado
  • Repartir entre si o reino de Portugal, se o pudessem reaver
  • Considerar direito exclusivo dos dois reinos, território muçulmano a conquistar, definindo as áreas reservada a cada um deles, excluindo Portugal de qualquer direito de conquista, opondo-se ao alargamento de Portugal á custa do território muçulmano.
Muito embora não pareça ter havido nenhuma acção armada contra Portugal no imediato, não podia D.Afonso Henriques ao ter conhecimento de agressivo acordo aos seus interesses, manter-se indiferente.

Sem comentários: