terça-feira, julho 24, 2007

A formação da Ordem de Santiago


A ordem de Santiago foi fundada por Fernando II em 1170 em Cacéres, mas acabou por fixar a sua sede em Uclés em território de Castela

A sua introdução em Portugal está documentada em data próxima do ano de 1172, tendo desempenhado parte activa e de relevo no episódios que se iriam seguir na Reconquista.

  • A regra que seguiam era a de Santo Agostinho e muito embora a bula papal recomendasse o celibato, o certo é que ao contrário de Císter, os seus membros não eram obrigados aos voto de castidade, pois a sua carta fundadora pragmaticamente defendia ser melhor "casar do que viver consumindo-se pelas paixões ".
  • Só na pobreza e obediência, os seus votos se assemelhavam às outras ordens.
  • A tese do "negócio em pacote", entre Fernando II e o papa Alexandre III, é colocada como hipótese bem plausível por alguns historiadores, dado envolver na mesma época, a separação de Fernando II de Leão e de Urraca, filha de D.Afonso Henriques, a criação da bula de autorização para a criação desta ordem e a concessão do bispado a Ciudad Rodrigo.
  • Consubstanciava-se assim o poder do rei leonês, pronto para encetar de novo o movimento de Reconquista.
  • Curiosamente, ou talvez não logo em 1172, ainda a Ordem de Santiago não tinha sido confirmada pelo Papa, o que viria a acontecer somente em 1175 e já D.Afonso Henriques a reconhecia, doando lhe importantes possessões nomeadamente Almada, Alcácer e Palmela, que viria a tornar-se a sede da ordem.
  • Um foral dado aos habitantes de Monsanto em 1174, já depois do castelo ter sido retirado aos Templários que o haviam reconstruído como disse anteriormente em 1170 e concedido aos de Santiago, é um facto que vem salientar esta preferência súbita que a coroa portuguesa demonstrou, pela ordem hispânica de Santiago, criada por iniciativa do rei leonês.
  • Qual a razão ? A resposta, escapa-se ao meu entendimento, ficando apenas suposições, entre a estratégia de nos associar à força que se avizinhava forte na Reconquista, ou a continuação do esforço consolidação defensiva e povoamento, como se percebe nortear a concessão por essa altura de forais a muçulmanos livres de Lisboa e outras povoações ao sul do Tejo.
  • Os Cavaleiros de Santiago, chamados de Santiaguistas ou Espatários (por ser o seu símbolo uma espada em forma crucífera – ou uma cruz de forma espatária, dependendo do ponto de vista

4 comentários:

Isabel-F. disse...

olá...

vim da Marta ...

parabéns por esta iniciativa sobre os blogs com os Reis de Portugal...

vou ter muito que ler por aqui...

bj

Luis Maia disse...

Fico feliz se isso acontecer e mais ainda se quiser colaborar.

carlos disse...

por acasoalguem me pode dizer onde consigo arranjar uma imagem da espada e combate de D.Afonso Henriques? agradecia

Anónimo disse...

olá, por acaso conheces algum livro ou documento que trate sobre a atuação específica da Ordem do Templo no cerco à Lisboa em 1147?