quinta-feira, agosto 02, 2007

A co-regência com o infante D.Sancho



Alguns historiadores têm colocado a questão de considerar que após 1169 o verdadeiro rei, teria sido o príncipe Sancho, pois agravando a incapacidade física que a falhada tomada de Badajoz terá ocasionado, agravada pelo período de cativeiro à ordem do genro, também consideram alguns que D:Afonso Henriques terá sido atingido por um acidente vascular que o deixara totalmente incapacitado.

  • Mattoso rejeita essa tese, por não haver prova documental credível sobre essa mesma incapacidade, mas a activa intervenção do príncipe herdeiro assumem-no como co-regente na condução do reino, pelo menos no que ás intervenções militares diziam respeito.
  • Existem numerosos documentos onde se assinala essa "promoção" do infante Sancho, mas cite-se a titulo de exemplo a memória da transladação das relíquias de S.Vicente, redigidas pelo deão da Sé de Lisboa onde se diz "que a cerimónia se realizou no dia 15 de Setembro de 1173, do rei Afonso, aos 67 anos de vida, co-reinando Sancho,filho do mesmo rei, de 19 anos".
  • D.Sancho já havia sido armado cavaleiro no ano de 1170, mas só depois da cerimónia acima referida, começou a participar na guerra com algum destaque, permanecendo a duvida se o jovem príncipe teria tido a sua função iniciática numa nova tentativa de tomada de Badajoz, conduzida por Geraldo Geraldes no Outono de 1170.
  • Contudo a chefia militar do exército, evidente depois de 1173, haveria de se reflectir noutros feitos mais marcantes, como a duma grande expedição a Sevilha em 1178 e outra na fronteira leonesa em 1179.
  • A partilha de poder decorrente da promoção do infante têm destaque numao I

Sem comentários: